Image Image Image Image Image
Scroll to Top

Topo

web designer

11

mar
2012

Sem Comentários

Em Blog

Por Allison

Como se tornar um Web Designer Profissional

Em 11, mar 2012 | Sem Comentários | Em Blog | Por Allison

Fonte: CriarSites

Este é um guest post escrito por Thiago Rodrigues do blog Tudo Criativo.

Então você quer se tornar um web designer, mas você não tem ideia por onde começar? Não entre em pânico! Não é tão difícil quanto parece, mas exige um pouco de tempo e esforço, principalmente se você não quer ou não pode pagar um curso. É muito comum encontrar Web Designers autodidatas, mas você tem que saber por onde começar. Neste post vamos dar uma olhada no passos básicos para se tornar um web designer. Vamos lá então!

O que faz o bendito do Web Designer: Um web designer cria os elementos visuais de um site, tais como cores, layout, formatação, etc. Para isso ele deve ter uma boa compreensão dos fundamentos do projeto e aprender a usar alguns softwares para os projetos. Designers gráficos e web Designers são frequentemente considerados como iguais, apesar dos dois terem bons conhecimentos de informática e usarem softwares similares, definitivamente não são iguais. Um Web Designer requer conhecimentos específicos de várias áreas (de ilustração, vetores… até um mínimo de programação) e algumas habilidades técnicas.

Os melhores softwares para se tornar um web designer ou desenvolvedor web

Os principais softwares gráficos que você deve aprender a usar são: Adobe Illustrator (pode ser substituído pelo Corel Draw, ou usar ambos) e o Adobe Photoshop (este é insubstituível). Além disso, é recomendado aprender o Adobe Fireworks e o Adobe Dreamweaver. Estes programas não são difíceis de usar, mas eles são bastante complexos e é preciso tempo para dominá-los.

Você também terá de aprender algumas das linguagens de programação básicas, tais como HTML, CSS, Javascript, Flash, PHP e jQuery. Você deve ter habilidades competentes sobre os dois primeiros, mas é aconselhável, pelo menos, estar familiarizado com o resto deles também. Ah, e um pouco de conhecimento de SEO não faz mal a ninguém.

Felizmente hoje em dia há uma série de recursos de aprendizagem disponíveis, a maioria das quais são gratuitas. Tutorias existem aos montes na internet e sites muito bem esquematizados para te auxiliar.

Web design é um campo em constante desenvolvimento, então você estará em um estado de formação permanente. Você sempre terá algo novo para aprender, e, embora às vezes possa ser cansativo, é também emocionante e tira parte da rotina que é inerente a qualquer outro trabalho.

É fundamental ter um olhar aguçado para a estética e uma abordagem pró-ativa com a tecnologia. Essas habilidades têm um importante componente inato, mas eles poderiam ser treinados também. Pesquisar em blogs, livros e seus arredores em busca de inspiração. Fique de olho nas tendências de entrada. Mas acima de tudo, ser apaixonado pelo seu trabalho.

Escolha seu caminho

Se você quiser se tornar um especialista (e ser visto como um também) você precisa de experiência, certo? Isso significa que o trabalho feito que mostra o que você pode fazer. É mais provável que você não tenha clientes ainda, então uma boa ideia é começar por fazer o seu próprio site. Você futuramente vai precisar ter um portfólio, mas por enquanto, estamos em busca de presença online. Inclusive você certamente voltará diversas vezes a redesenhar seu site e fazer coisas mais sofisticadas, conforme for melhorando suas habilidades.

Quando você está trabalhando para si mesmo é fácil perder o foco ou entrar em um loop infinito de mudanças em seu trabalho. Meu conselho é definir uma data para lançar o seu site e cumpri-lo. Faça um calendário de trabalho e agende todos os seus projetos, a partir do seu aprendizado vise a criação do seu portfólio. Lembre-se de ser organizado (mantendo uma lista de coisas a fazer pode ser útil) e sempre (SEMPRE) teste o seu trabalho antes de lançá-lo. Trabalhe em qualquer projeto como se fosse um pago. Dessa forma, você estará preparado para eventuais problemas quando você está trabalhando em um projeto profissional.

Agora sim: Torne-se um Web Designer

Quando você controla as ferramentas, conhece o campo e tem seu próprio site, é hora de começar a trabalhar em projetos para os outros. Primeira coisa que você tem a fazer é decidir se você quer trabalhar em uma empresa ou agência ou como Web Designer freelancer.

Design é uma questão muito subjetiva e web design não é excepção. Se você deve aprender a vender-se. Trabalhar em suas habilidades de comunicação, criar uma marca pessoal, marketing pessoal e lembre-se de ser organizado e aprender com suas experiências, levar os problemas como oportunidades de aprender e melhorar a si mesmo como um designer profissional.

Agora você está no caminho para o sucesso, lembre-se que é preciso paciência, nada de bom vem fácil. Tenha uma atitude positiva e aproveite o passeio! Boa sorte a todos!

Tags | , , ,

29

fev
2012

Sem Comentários

Em Blog
Design

Por Allison

O web designer dos sonhos

Em 29, fev 2012 | Sem Comentários | Em Blog, Design | Por Allison

Fonte: Alda Rocha/IMasters

Recentemente, eu tive que recusar alguns freelas por não poder cumprir com o prazo de entrega. Sendo assim, procurei por designers freelancers para que pudesse repassar os trabalhos. Busquei pessoas que poderiam dar continuidade ao meu trabalho, mas me deparei com um problema que virou uma constante na área web design: a carência de profissionais completos.

Muita gente tem dificuldade de ver o macro e o job como um todo, o que faz com que o layout passe de mão em mão até chegar, pronto e funcional, ao navegador do usuário. Fulano só recorta, beltrano só cria e cicrano só faz o HTML e o CSS. Ao final, acabei precisando de quatro pessoas pra fazer algo que eu faria sozinha.

Qual o motivo de não termos designers completos que participam do projeto do começo ao fim? De quem é a culpa de termos layouts do tipo Frankenstein rodando por aí, com remendos e peças encaixadas sem nenhum padrão de qualidade? Bom aqui estão os culpados: o cliente e o web designer.

Cliente – quem pede:

O cliente acha que não é importante o designer participar do brainstorm, ou ter um briefing completo do que ele, cliente, quer para o layout. Ele acha que se der as peças soltas, vai ser fácil formar o quebra-cabeça. Não que seja impossível, mas não é, nem de longe, o ideal.

Quando cada profissional faz uma parte, é preciso haver uma comunicação impecável entre todos eles. Mas quando se faz um freela, isso é muito raro. Caso não haja uma boa comunicação, colocar o site para rodar pode se tornar uma experiência traumática. Acho que o cliente tem que iluminar o caminho pra o web designer para que, por exemplo, ele saiba que se fizer um botão cheio de frescura, pode complicar na hora de rodar algum aplicativo que vai ser inserido no futuro.

Saber como o layout do cliente se comporta hoje e como ele quer que se comporte no futuro é essencial pra que o web designer consiga atender as expectativas do cliente.

Web designer – quem monta e cria:

Muitos web designers não se preocupam em ter uma carreira, e a culpa de não termos fidelidade e nem continuidade pra início e fim de projetos pode ser desses profissionais que fazem o trabalho, no bom e velho português, “nas coxas”. E essa situação acaba gerando a famosa refação e faz com que o layout passe de mão em mão, na esperança de que alguém consiga fazê-lo rodar. O layout vira uma batata quente.

Esse tipo de pessoa, que só faz uma função no processo, é o designer acomodado, que fica satisfeito em apertar um parafuso, sendo que ele poderia criar o carro todo. Como ele sabe que receberá seu salário no próximo mês, está tudo bem pra ele.

Eu, particularmente, acho terrível não saber onde está se metendo e para onde aquilo vai. Projeto é como um filho; e filho não se faz pela metade! Quando trabalhamos blocado, só ajustando certas áreas, fica difícil falar que você realmente criou e fez aquele layout.

Como resolver?

Não sei ao certo qual é a solução para esse problema, já que isso requer uma comoção geral em torno do assunto – e precisaríamos, claro, de designers menos preguiçosos. Pessoas que tenham interesse em crescer na área, crescer na vida, ganhar mais conhecimento, aprender, ler mais, e ser completo para ver o macro, sem travar numa tela só, ou errar no rumo do site porque está no escuro e tem preguiça de sair dele.

Precisamos de mais gente querendo criar a máquina como um todo, do que simplesmente apertar parafusos!

Tags | , ,