Arquivo da tag: tags

Lançado – PHP 5.4

Salve galera! Acabo de ver nesse exato momento que o PHP 5.4 acabou de sair do forno, isto pode ser conferido diretamente no site oficial do PHP.

Esta versão incluí um grande número de novas características e correções de bugs.

Dentre as principais novidades estão:

  • Traits
  • Servidor web integrado
  • Melhor desempenho e consumo reduzido de memória
  • Pequenas melhorias em várias extensões
  • Short Tags agora estão sempre disponíveis <?=
  • Alguns recursos legado foram definitivamente removidos, tais como: register_globals e allow_call_time_pass_reference.
  • Suporte a número binário; Exemplo: 0b001001101
  • Acesso ao membro da classe no momento da instancialização; (new Foo)->bar()
  • Derreferenciamento de array (poder usar colchetes sobre elementos que retornam array); Exemplo: foo()[0]
  • Sintaxe curta para arrays; Exemplo: $a = [‘um’ => 1, ‘dois’ => 2];

HTML5 – Novos Elementos de Estrutura

Fonte: Rodrigo Aramburu/BotecoDigital

O HTML5 vem para ser a atualização da linguagem HTML. Ela cria várias novas tags na linguagem para que o CSS e o Javascript fazerem melhor seu trabalho sem precisar da instalação de vários plugin, compromentendo o desempenho, e trazer mais semântica ao código HTML.

Embora o padrão não esteja terminado e plenamente suportado, podemos começar a utilizar alguns de seus recursos já que ele esta sendo disponibilizados em módulos. Uma das mudanças que já podemos utilizar é a estrutura da página, que foram criadas tags novas para representar semanticamente a estrutura da página.

Antigamente(HTML4/XHTML) utilizávamos a seguinte estrutura:

Para deixar mais semântica a estrutura da página foram adicionadas as tags: section , article, aside e nav, header e footer.

Utilizando estas nova tags podemos criar a seguinte estrutura:

<!DOCTYPE html>
 
<html>
 
    <head>
        <title>Exemplo de estrutura de site em HTML5</title>
        <meta charset="utf-8">
        <link rel="stylesheet" href="estilo.css">
    </head>
 
    <body>
        <div id="site">
            <header id="topo">
                <h1>Titulo do site</h1>
            </header>
 
            <nav id="menu">
                <ul>
                    <li><a href="#">Link 1</a></li>
                    <li><a href="#">Link 1</a></li>
                    <li><a href="#">Link 1</a></li>
                    <li><a href="#">Link 1</a></li>
                    <li><a href="#">Link 1</a></li>
                    <li><a href="#">Link 1</a></li>
                </ul>
            </nav>
            <section id="conteudo">
                <header>
                    <h2>Titulo do artigo</h2>
                    <small>12/12/2012</small>
                </header>
 
                <article>
 
                </article>
                <footer>
                    Por Fulano
                </footer>
            </section>   
 
            <aside>
 
            </aside>
            <footer>
                <a href="http://www.botecodigital.info">Boteco Digital</a>
            </footer>
        </div>
    </body>
 
</html>

veja o exemplo

Para começar o DOCTYPE foi bastante simplificado, bem como a metatag charset. Eu particularmente agradeço já que nunca consegui decorá-las, sempre tive que abrir um arquivo e copiar.

Vamos a uma breve descrição das novas tags.

section

A tag section define uma nova seção do site, uma área genérica do site. Por exemplo a home pode ser dividida em destaque, novidades, chamada para conteúdo completo.

header

O elemento header representa uma área de introdução. Pode ser utilizado para agrupar índices de conteúdo, campos de busca, cabeçalho do site com titulo ou logo.

footer

A tag footer representa o rodapé do site, ou de uma seção.

nav

O elemento nav é utilizado para representar uma seção da página que contém links para outras partes do site. Este elemento deve ser utilizado para grupos de links importantes do site tipicamente menus de navegação.

article

O elemento article é utilizado para representar o conteúdo do site propriamente dito, como posts, artigos e outros textos em geral.

aside

A tag aside representa um bloco de conteúdo que referência o conteúdo que envolta do elemento aside.

Porém vários navegadores, principalmente os mais antigos, não reconhecem devidamente as novas marcações. Para mantermos a compatibilidade é necessário estilizar algumas tags usando a seguinte regra CSS.

header , footer , article , aside , nav , section {display:block}

Para verificar o suporte a HTML5 e CSS3 podemos utilizar a Modernizr (http://www.modernizr.com/) que é uma biblioteca de detectação que lhe permite verificar o suporte da maioria das características do HTML5 e CSS3. O Modernizr roda automaticamente assim que você o adiciona no head do documento fazendo funcionar as novas tags em navegadores mais antigos(IE8).

Piores Erros de SEO

Fonte: FrankMarcel baseado em Worst SEO Mistakes

Uso de Flash

Tudo bem, eu sei que o Google já anunciou que agora indexa Flash, lê o conteúdo texto presente em documentos Flash e que os desenvolvedores podem ficar tranquilos. Mas sejamos críticos. Quantos sites em Flash (totalmente ou maior parte em Flash) você viu surgir entre os primeiros resultados no seu ramo de atuação online desde a “revelação” do Google?

É óbvio que é possível rankear um site em Flash entre os primeiros, mas é mais rápido e mais simples rankear um site em HTML. Não que o Flash deva ser abandonado completamente. Ele é interessante para menus animados, ou logos de sites com alguma animação, ou qualquer coisa que seja dispensável e não contenha o conteúdo importante do site.

É um erro manter todo o site dentro de um arquivo Flash ou seu conteúdo importante.

Mau Uso de Title Tags

Como mau uso de title tags está incluído nao usar title tags (sério! existem páginas “com” o título “Untitled Document” na web)  e conteúdo duplicado pelas title tags do site, ou seja, títulos duplicados.

untitled-document

É muito comum empresas usarem o nome em todas as páginas sem especificar o conteúdo da página, assim, em todas as páginas fica o título “Empresa X”, ao invés de “Empresa X”, “Produtos – Empresa X”, “Departamento B – Empresa X” e assim por diante.

Ainda hoje muitos sites falham com a title tag de alguma forma, logo com esta tag que é tao importante para o posicionamento dos sites. Se os SEO’s e desenvolvedores em geral testassem um pouco mais a title tag em seu site, viriam como sutilezas fazem toda a diferença no posicionamento do site.

Robots.txt Mal Configurado

O robots.txt é um arquivo que oferece ao webmaster algum controle sobre o que os robôs de busca podem ou não acessar em um site. Basta especificar o crawler a ser controlado e as regras com as sintaxes Allow e Disallow para permitir e bloquear o acesso, respectivamente. No robots.txt é importante, também, definir o caminho para o sitemap XML do site com a sintaxe Sitemap.

O perigo está em definir-se o robots.txt com a regra Disallow:/, que bloqueia todo o site, ou bloquear alguma parte importante do site por acidente. Parece óbvio, mas ainda acontece hoje em dia. E um site bloqueado no robots.txt não indexa mesmo. Tanto Google quanto Yahoo! já afirmaram que em casos assim são necessários muitos links (muitos mesmo!) para que uma página bloqueada tenha a possibilidade de ser indexada.

“Sub-uso” de Links Internos

Esse é o que pode soar mais estranho e é mesmo o mais absurdo. Muitos e muitos sites falham em sua linkagem interna. Tudo bem, alguns sites são grandes demais para serem linkados de toda parte, mas se limitar aos links do menu de navegação é um sub-uso do poder de linkagem interna de um site. A linkagem interna é a mais barata e mais fácil de ser manipulada.

Sim, os links externos podem ser mais fortes e mais importantes para o ranking, mas se os links internos não forem bem utilizados, toda essa força externa vai ficar sub-utilizada também e pode ser a diferença entre o seu site e a primeira posição no ranking.

Usar Frames e iFrames

Essa também é uma das tristes verdades da Internet – Ainda existem sites que utilizam frames (vamos entender iframes também, quando for mencionado frames, tanto faz um pelo outro). E por que frames não devem ser utilizados? Quando o frame é utilizado para estruturar um site, ou seja, cada porção do site (cabeçalho, sidebar, conteúdo, rodapé, etc.) é criada separada de todas as outras e reunidas em um arquivo para organizar todas essas partes, o Google não interpreta esse arquivo como “detentor” de todos os conteúdos de cada parte. Ele interpreta cada frame como uma página completa e única, assim, ele indexa cada frame, e não o arquivo único como um todo.

Isso não é uma regra absoluta, mas tem uma chance muito grande de acontecer. O resultado é que uma pessoa pode fazer uma busca e, ao invés de aparecer o site completo, apareça somente o cabeçalho ou sidebar, e a pessoa fica sem o conteúdo que estava buscando – Uma experiência ruim para o usuário, e você sabe como o Google não gosta disso…

Uso de Cloaking

Nem é preciso dizer muito, nao é? Cloaking, aquela técnica de mostrar conteúdos diferentes para uma pessoa e para um bot de busca, é Black Hat! E, portanto, punido pelo Google. O problema mesmo é que as vezes o cloaking deriva do Geo Targeting, quando este é mal feito. O Geo Targeting é uma técnica permitida pelo Google, que até dá os conselhos de como fazer certo: se o conteúdo vai se diferenciar com base na localização geográfica do usuário (país ou cidade ou qualquer regiao), então se o googlebot se indentificar como da região X ou Y, ele deve receber o mesmo conteúdo que um usuário da região X ou Y, caso contrário…

Uso de cloaking intencionalmente para driblar o Google é black hat. Deve-se tomar cuidado para não causar um cloaking por acidente.

SPAM

Parece óbvio, mas muita gente nao entende as diversas formas de spam. Spam não é somente um email indesejado. Spam, ou spammer, também é a pessoa que erra na estratégia de divulgação do site ou blog e passa a espalhar seus links por todo lado: fóruns, blogs, etc. Normalmente, não dá a mínima para o blog ou fórum deixa um comentário genérico (“Adorei o post! Visite o meu site: www.naoseidivulgar.com.br”). Para não mencionar quando são usados sistemas automatizados de postagem, em que o mesmo comentário entra dezenas de vezes no mesmo post.

É impressionante a frequência com que isso acontece. É uma pena.

Uso de URLs não Otimizadas

O principal problema deste ponto é que a maioria dos sites primeiro cresce demais em conteúdo para depois começar a se preocupar com as URLs. A imensa facilidade de usar parâmetros p=2&id=43&etc=infinito também desencoraja os desenvolvedores a investir o tempo (e não perder tempo) com a otimização das URLs do site.

Neste ponto, o SEO deve trabalhar junto com o desenvolvedor para que a melhor solução de otimização de URL no site seja encontrada. Ainda não encontrei um sistema que impeça este trabalho. Sites em html, php, asp ou de sistemas de CMS como WordPress, Blogspot ou Joomla, todos permitem que se tenha URLs otimizadas, é questão de se programar corretamente mesmo.

A propósito, recomendo esses posts para você aprender a otimizar URLs no Blogspot e no WordPress, e como otimizar URLs em sites no geral.

Conteúdo Duplicado

Este é um dos maiores vilões do SEO, especialmente por que ele pode atacar sem que você perceba. Para não dizer que ele pode ser causado pelo próprio webmaster. Muitas pessoas tem dúvida sobre o que é ou não conteúdo duplicado, não tem certeza se determinada ação pode gerar ou não conteúdo duplicado e, especialmente, como evitar conteúdo duplicado óbvio, como receitas, especificações de produtos e afins.
Mas tudo tem solução e o primeiro passo é identificar conteúdo duplicado: basta ir ao Google e procurar por um trecho do texto que você quer testar, colocando o texto entre àspas. E para cada caso, uma solução diferente, mas isso eu vou deixar para outro post, por que este já está grande o suficiente.

Piores Erros de SEO

Esses são os principais pontos de lá que eu destaco como principais erros de SEO. A solução para esses problemas não é tão difícil, um pouco de pesquisa ou mesmo uma consultoria com pessoal especializado em otimização de sites com certeza pode resolver todos. Para qualquer dúvida ou sugestão de outros erros de SEO, não deixe de comentar!