Arquivo da tag: orkut

Redes sociais: por que elas não podem ser ignoradas pelos blogueiros

Se você tem um site/blog e acha as redes sociais perda de tempo, está na hora de rever seus conceitos.

Muitos donos de sites e blogs, na ânsia de conseguir tráfego, concentram todos seus esforços em enviar seus posts para agregadores, e acabam não dando a devida atenção ao tráfego que pode vir de sites como Orkut, Facebook e Twitter.

Muitos consideram eles como perda de tempo, mas acabam desperdiçando um tráfego de excelente qualidade. Se você usa WordPress, recomendo desde já, adicionar botões de redes sociais nos posts, para que as pessoas possam compartilhar os mesmos em suas redes.

Um plugin interessante que já usei é o sexybookmarks, que tem icones das 40 redes mais famosas. Para o Blogger, o ele próprio já disponibiliza os ícones para você no painel de controle. Vamos falar agora um pouco sobre as 3 redes mais utilizadas e como você pode agir nas mesmas de forma produtiva, a fim de conseguir trafégo de qualidade e fidelizado.

Twitter

O Microblog de 140 caracteres pode ser uma poderosa ferramenta para seu blog, mas é preciso saber usar para não se tornar um chato que só faz spam, o que vai fazer com que as pessoas parem de seguir o perfil do seu site.

Dicas:

-Sempre que postar algo novo, publique no Twitter, mas não exagere, evite tuitar sobre a mesma coisa, mais de 3 vezes ao dia.

-As sextas, sempre recomende sites parceiros, ou novos, que podem acabar te rendendo recomendações de volta, e com elas mais visitantes.

-Não use scripts para conseguir seguidores, a maioria deles serão fakes ou perfis de empresas, os usuários reais acabarão parando de te seguir, quando você começar a postar, já que te seguiram forçadamente.

-Um bom uso da ferramenta é fazer promoções, para que pessoas te sigam, e dêem RT, o que acaba ajudando na divulgação do seu perfil e site.

Facebook

-Para quem tem um site, o primeiro passo é criar um perfil de página, quando mais de 25 pessoas clicam em curtir sua pagina, você pode criar uma com o endereço

www.facebook.com/suapagina

-Faça promoções direcionadas apenas ao publico da Facebook, por exemplo, entre todos que ja clicaram curtir na sua pagina.De preferência, coloque na sua página o gadget do Facebook, o próprio Facebook tem um tutorial para isso.

-Se você tiver verba, campanhas no Facebook costumam dar um excelente retorno, tanto em visitantes quanto na qualidade das visitas.

-Conforme falei ali em cima, facilite com que seus usuários compartilhem seus posts no Facebook, nos testes que já fiz, o tempo dos usuários que vem do Facebook no meu site é sempre alto, pois as pessoas já entram por que vieram de um link em que se interessaram pelo assunto.

Orkut

-Embora muitos achem que o Orkut já era, ele ainda é bastante visitado. Crie um perfil do seu site e também uma comunidade.

-Uma estratégia que acho válida, mas que deve ser usada com critério, é sempre que postar algo, abrir um off topic na comunidade que tenha a ver com o assunto e divulgar seu post. Só tome cuidado para não exagerar e ser tachado como spammer. Ainda que não venha um número absurdo de visitas, costumam ser de qualidade,ficam bastante tempo no site, já que você esta divulgando para um público-alvo certeiro.

Finalizando, o importante é atuar em todas essas frentes, nenhuma rede social é milagrosa e te dará milhares de visitas sem esforço, mas com um pouco de atenção a elas, você pode obter resultados bem interessantes, que fará com que você dependa menos de visitas de agregadores, que nem sempre são de qualidade, nem dependa tanto de visitas de buscadores. Se bem usadas, as redes sociais se tornam uma poderosa ferramenta de divulgação do seu site/blog

Postado por Almy Fróes do site Guia dos Solteiros

Fonte: CriarSites

O darwinismo digital e as mídias sociais

Por Fernando Tassinari do IDG NOW

As mídias sociais alcançaram uma massa crítica relevante na população mundial, transcendendo quaisquer outras mídias e todas as plataformas, incluindo mobile e dispositivos de jogos.

O planeta dedica às redes sociais e blogs o equivalente a 22% do tempo total online, ou um em cada quatro minutos e meio. Sem contar que são visitados por três em cada quatro consumidores online.

Daí a importância de as empresas que ainda não acordaram para essa realidade passarem a considerar as mídias sociais como parte indispensável de suas estratégias de marketing digital.

Entre as dificuldades apontadas pelas organizações para inserirem suas marcas nas redes sociais está a de não saber por onde começar, achar que essas redes não podem ser mensuradas e acreditar que sua ausência impede possíveis críticas – o que é um grande equívoco, pois os consumidores falam bem ou mal de uma marca independentemente de ela ter ou não um perfil no Facebook, Twitter, Orkut etc.

Essas empresas também veem como obstáculos a indicação de um responsável para gerenciar esse tipo de conteúdo, a definição de um orçamento específico e a integração a outros esforços de marketing.

Por outro lado, são várias as razões que têm levado inúmeras marcas a monitorar e participar ativamente de sites de relacionamento. A primeira delas é que essas redes funcionam como um termômetro que mede o sucesso das campanhas de mídia, além de atuar como mecanismo de gerenciamento da reputação da marca.

As mídias sociais também contribuem com a geração de insights por meio da voz do consumidor, chegando até mesmo a levar empresas a desenvolverem novos produtos de acordo com os anseios do público-alvo, os chamados produtos colaborativos.

De acordo com o IAB Brasil (Interactive Advertising Bureau), foram contabilizados em 2009 cerca de R$ 950 milhões em investimentos em mídia online no Brasil, com o crescimento de 25,16%. A estimativa é que 2010 feche com um crescimento de 30%, totalizando R$ 1,2 bilhão.

O aumento da participação dos brasileiros nas redes sociais também é um fato: 86% das pessoas que acessam Internet acessam redes sociais, e mais da metade delas acessa mais de uma vez ao dia.

Mais de 350 mil sites já adotaram plugins como o “Curtir”, do Facebook, que geram 2,8 bilhões de impressões por dia – desde que foi criado, o “Curtir” já foi clicado mais de 100 milhões de vezes. Aliás, o Facebook já é a rede que lidera na maioria dos países. Nos Estados Unidos, já chega a 88% o índice de usuários de mídias sociais; no Brasil, o percentual é de 77%, e continua a aumentar em um ritmo vertiginoso.

O fenômeno das redes sociais tem levado a comunicação mundial a mudanças significativas. De um contexto no qual havia uma mensagem única e consistente – comunicador/ receptor –, vivenciamos agora a troca de mensagens com ideias múltiplas e coerentes.

Isso vem sendo chamado de Darwinismo Digital, pelo qual uma ideia original sofre mutações que criam variações. As mutações desfavoráveis são excluídas; as favoráveis são reproduzidas e mais mutações ocorrem. Com isso, só as mutações favoráveis devem sobreviver e continuar a se reproduzir.

Entretanto, a presença de uma marca por si só nos sites de relacionamento não é o suficiente para garantir bons resultados. É fundamental que a empresa avalie como o conteúdo publicado é percebido pela audiência e gerenciado, além de verificar se tem algum valor relevante para as mídias sociais, ou seja, se as ideias fazem diferença na vida das pessoas.

A partir desses pontos, deve-se estabelecer a integração com as estratégias de marketing, cujos programas precisam incluir calls to action para interagir com as plataformas de redes sociais.

WEB Marketing – Potencial e ferramentas

Os Web Sites até o fim dos anos 90 representavam uma fotografia estática da sua empresa no mundo online. Eram essencialmente informativos. Os WEB Sites hoje são a sua empresa no mundo online. Além de informativos, devem ser dinâmicos e interativos. Unindo praticidade e custo mais acessível, a Internet, entre outras coisas, permite que as empresas exibam seus produtos e serviços, e estabeleçam uma relação mais intensa com seus clientes e parceiros.

O mercado

Pesquisa CETIC.BR (amostra 3700 empresas com 10 ou mais funcionários, ano 2009)

  • 93% usam a internet, sendo:
    • 9% B2C – Negócios entre empresas e consumidor;
    • 44% B2G – Negócios entre empresas e governos;
    • 47% B2B – Negócios entre empresas
  • 55% compraram pela Internet
  • 40%  venderam pela internet
  • Vendas Varejo – 10,6 bilhões de reais em 2009 (e-bit).

A porcentagem de pessoas que procuram informações sobre empresas e/ou produtos no Google chega a 90%, e uma boa parte fica bastante desapontado quando não encontra nada ou quando encontra algo ruim.

O que estes números demonstram é que, queira você ou não, sua sede na Internet influencia nos resultados da empresa. A influência pode ainda nem ser notada, mas existe e renderá frutos. Pense em Darwin e sua teoria da evolução. As mudanças são inevitáveis e a longo prazo, só os que melhor se adaptarem sobreviverão.

Web Marketing

Ao contrário das mídias tradicionais que disparam para todos os lados tentando atingir o alvo, na Internet é possível direcionar a divulgação para o público alvo desejado de forma bastante eficiente.

Essencialmente, isto acontece porque na Internet é o cliente interessado no produto ou serviço que chega até a empresa e não o contrário. Em função disto, torna-se essencial otimizar a divulgação para o público alvo que se deseja atingir, o que  necessariamente passa por uma segmentação do conteúdo oferecido. Na Internet, tudo é muito segmentado, por exemplo, pelo simples fato de você ter chegado até este texto, existe uma grande probabilidade de possuir interesse em web marketing, seja como cliente ou como profissional ligado a área.

SEO e SEM

SEO, numa tradução livre, significa Otimização para Ferramentas de Busca e SEM, também numa tradução livre, significa Marketing para Ferramentas de Busca. Existem muitos livros somente sobre estes assuntos. São técnicas que essencialmente têm o objetivo de fazer o conteúdo que você publica na Internet aparecer melhor colocado nas pesquisas (Google, Bing, Yahoo, …).

SEM engloba o conjunto de estratégias de Marketing na Internet que tem por objetivo a promoção de um website nos resultados dos buscadores. SEM engloba SEO, posicionamento pago, anúncios contextuais e outras técnicas. Ele é um guarda-chuva para termos relacionados. SEO são as técnicas restritas a otimização do código e do conteúdo para melhorar o posicionado nas pesquisas.

SEM = SEO + Redes Sociais + Blogs Corporativos + Links Patrocinados + Anúncios Contextuais + (Outras estratégias para busca)

O importante é saber que, entre todas, a técnica número 1 é: Ofereça conteúdo relevante para seu público alvo. As dezenas de outras técnicas ajudam a melhorar ainda mais os resultados derivados desta.

Atualmente, ao buscar determinada palavra-chave, 60% das pessoas não passam da primeira página do Google e 90% não passa da terceira página. Isto quer dizer que não basta o site da sua empresa estar indexado no Google. Sua empresa deve ter uma estratégia de SEM definida para que possa estar entre as primeiras posições e ser facilmente encontrada pelos seus clientes em potencial.

Redes Sociais

Representa uma das grandes modificações recentes em termos de comunicação. As redes sociais são conhecidas como a nova propaganda boca-a-boca. Nelas, opiniões e percepções são trocadas continuamente entre compradores, vendedores, formadores de opinião, políticos, artistas, especialistas, etc…, definindo e redefinindo opiniões e atitudes de indivíduos, muitas vezes aos milhares.

95% dos internautas no Brasil participam de alguma rede social. No mundo 72%. Muitos deles falam de sua empresa, mesmo que você ignore isto. Cerca de 33% dos internautas consideram as opiniões de outros consumidores postadas em sites de comunidades, de acordo com pesquisa F/Radar. O Brasil é o país que mais utiliza redes sociais no mundo e a tendência é só crescer. Afinal, o governo federal quer, para breve, elevar o acesso à banda larga de 12 milhões para 40 milhões de domicílios, com o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL).

As redes sociais permitem colher informações de clientes ou do público-alvo a um custo muito baixo e em curto prazo. É cada vez mais importante descobrir o que o internauta quer e pensa, e as redes sociais proporcionam este aprendizado. Além disto, o uso correto de redes sociais ajuda a associar a imagem da empresa à transparência, faz com que o cliente se sinta tratado de igual para igual e acaba por criar um canal direto com os consumidores.

Cases com redes sociais:

  1. Um cliente insatisfeito, até mesmo sem razão, pode gritar aos 4 ventos em diversas redes sociais o quanto seus produtos ou serviços são ruins. Se sua empresa ignora esta mídia, não vai ter a oportunidade nem ao menos de se defender. Possivelmente perderá alguns clientes sem nem notar.
  2. Já vendemos um apartamento de 500 000 reais pelo Twitter. Colocamos o link de venda no nosso perfil e um dos seguidores se interessou pelo imóvel.” Disse Roberto Aloureiro da construtora Tecnisa, com sede em SP.
  3. Para divulgar vagas e processos seletivos, a Vale criou perfis em quatro redes sociais  – Twitter, Linkedin, Facebook e Orkut. Veja aqui.

Mídias Sociais

Existem diversas mídias sociais disponíveis hoje em dia. Uma rede social, simplificando, é um conjunto de pessoas interagindo. A palavra chave neste caso é Interação, pois se não houver interação, não há rede social. Todas as ditas mídias sociais, como youtube, orkut, facebook, twitter, etc…, permitem de uma forma ou de outra, a formação de comunidades com uma forte interação entre os participantes, e é por isto que são mídias sociais.

Futuro próximo

Existe a previsão de que as redes sociais ocuparão o lugar do e-mail nas empresas. Eu particularmente não acredito nisto, mas tenho certeza que o papel destas crescerá bastante a curto prazo, talvez ultrapassando o email em uso, mas não substituindo.
O uso dessas redes exige planejamento, conhecimento e profissionais qualificados. As empresas acham que é só se cadastrar e começar a produzir conteúdo. Pensar assim pode ser fatal.” Disse Rodrigo Prior, publicitário e consultor de Mídias Sociais.

Para usufruir dos grandes benefícios das redes sociais para as empresas é necessário planejamento, conhecimento e profissionais qualificados. A tendência é que, devido a complexidade e importância, cada vez mais empresas passem a contratar outras empresas ou especialistas para o gerenciamento e monitoramento de suas redes sociais. Entre outras coisas, é preciso moderar comunidades e sites de relacionamento, estruturar as melhores formas de interação, desenvolver estratégias de marketing e acompanhar a situação das marcas na internet.

Blog Corporativo

Os blogs corporativos, ao publicarem de forma frequente conteúdo relevante para o público alvo da empresa, desempenham um papel importante na estratégia de SEM.

Também considerado um importante canal no pré-venda, há muitos casos de companhias nacionais que criaram blogs para dialogar de perto com seus clientes. Como exemplo de atividades que vem sendo implantadas para a geração de negócios on-line é possível citar as montadoras de veículos que usam a web para esclarecer dúvidas dos potenciais compradores antes que eles se dirijam a uma loja para fechar o negócio, ou o setor de construção civil com seus lançamentos imobiliários.

O investimento dessas empresas nessas ações supera a marca de 10% de sua verba publicitária, o que representa uma quebra de paradigma. Entretanto, isso só tem ocorrido porque essas companhias constataram a eficácia desse meio para trazer novos consumidores, bem como incrementar resultados financeiros.

Cases com blogs corporativos:

  1. Petrobras – Fatos e Dados – Principal ferramenta da maior empresa do Brasil para desmentir certas reportagens que costumam sair em alguns veículos, apenas isto.
  2. Fiat Mio – Um carro sendo projetado com a contribuição dos internautas, apenas isto.

Por Vinicius A. Castro, da SWX Sistemas