Image Image Image Image Image
Scroll to Top

Topo

Computação nas Nuvens

17

dez
2011

Sem Comentários

Em Blog
Cloud Computing

Por Allison

Computação Em Nuvem: Definições De Padrões Publicadas

Em 17, dez 2011 | Sem Comentários | Em Blog, Cloud Computing | Por Allison

Após muito tempo de trabalho e 15 versões preconcebidas, o Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia (NIST) publicou as definição padrões para Computação em Nuvem ( ou nuvem de computação – cloud computing). O novo conceito de computação emergente na web agora está mais quente ainda com a discussão sobre o que é exatamente computação em nuvem e como saber aproveitá-la da melhor forma.

É bem certo que as empresas carecem e demandam desta definição, o que ajudará a determinar o nível e êxito sobre as implementações de tecnologia da informação, além de descobrir se atendem aos modelos de nuvem,” diz Peter Mell, do NIST.

Definição de Computação em Nuvem

Computação em Nuvem é um modelo de oferta de serviços pelos servidores web que provê acesso a uma rede de aplicações e informações, sendo possível a conexão de qualquer localização, ou seja, uma rede compartilhada de recursos de computação como redes, servidores, armazenamento, aplicativos e serviços.

Exemplos d eaplicações que você provavelmente já utiliza em Nuvem: Google Doc, Gmail, Skydrive, Windows Live, etc.

O modelo de nuvem completo é composto de cinco características essenciais, três modelos de serviço e quatro modelos de implementação.

Características essenciais

  • Auto-atendimento sob demanda – Um consumidor pode unilateralmente dispor de capacidades de computação, tais como tempo de servidor e armazenamento em rede, conforme necessário, automaticamente, sem a necessidade de interação humana com cada prestador de serviço.
  • Amplo acesso à rede – Recursos são disponibilizados através da rede e acessados por meio de mecanismos-padrão que promovam o uso por plataformas-cliente heterogêneas com qualquer capacidade de processamento (por exemplo, telefones celulares, tablets, notebooks e estações de trabalho).
  • Agrupamento (pooling) de recursos – Os recursos de computação do provedor são agrupados para atender múltiplos consumidores através de um modelo multi-inquilino, com diferentes recursos físicos e virtuais atribuídos dinamicamente e redesignados novamente de acordo com a demanda do consumidor. Há um senso de independência de localização em que o cliente geralmente não tem controle ou conhecimento sobre a localização exata dos recursos disponibilizados, mas pode ser capaz de especificar um local em um nível maior de abstração (por exemplo, estado, país, ou datacenter). Exemplos de recursos incluem armazenamento, processamento, memória e largura de banda de rede.
  • Elasticidade rápida – Capacidades podem ser elasticamente provisionadas e liberadas, em alguns casos automaticamente, para se ajustar à escala, crescente ou decrescente, compatível com a demanda. Para o consumidor, as capacidades disponíveis para provisionamento frequentemente parecem ser ilimitadas e podem ser apropriadas em qualquer quantidade e a qualquer momento.
  • Medição do serviço – Sistemas em nuvem controlam e otimizam automaticamente o uso dos recursos, aproveitando uma capacidade de medição em algum nível de abstração apropriado para o tipo de serviço (por exemplo, contas de armazenamento, processamento, largura de banda e usuário ativo).

Modelos de Implementação de Nuvem

Nuvem privada

A infraestrutura de nuvem é provisionada para uso exclusivo por uma única organização, compreendendo múltiplos consumidores (por exemplo, unidades de negócio).

Ela pode ser controlada, gerenciada e operada pela organização, um terceiro, ou alguma combinação deles, e pode existir com ou sem premissas.

Nuvem comunitária

A infraestrutura de nuvem é provisionada para uso exclusivo por uma comunidade específica de consumidores de organizações que têm preocupações comuns (por exemplo, considerações referentes a missão, requisitos de segurança, política e compliance).

Ela pode ser controlada, gerenciada e operada por uma ou mais das organizações na comunidade, um terceiro, ou alguma combinação deles, e pode existir com ou sem premissas.

Nuvem pública

A infraestrutura de nuvem é provisionada para uso aberto ao público em geral. Ela pode ser controlada, gerenciada e operada por organização empresarial, acadêmica ou governamental, ou alguma combinação delas. Ela existe sob as premissas do fornecedor da nuvem.

Nuvem híbrida

A infraestrutura de nuvem é uma composição de duas ou mais infra-estruturas de nuvem distintas (privada, comunitária ou pública) que permanecem como entidades únicas, mas são unidas por tecnologia padronizada ou proprietária que permita a portabilidade de dados e aplicativos (por exemplo, balanceamento de carga entre nuvens).

Leia mais em InovaçãoTecnológia ou veja a definição completa que está disponível no endereço: http://csrc.nist.gov/publications/PubsSPs.html

Fonte: nuvemseo

Tags | , , ,

12

ago
2011

Sem Comentários

Em Blog

Por Allison

Nuvem privada ganha status de tecnologia madura

Em 12, ago 2011 | Sem Comentários | Em Blog | Por Allison

A computação em nuvem privada ganhou maturidade de um ano para cá, figurando entre as tecnologias com “Pico de grandes expectativas” no relatório 2011 Emerging Technologies Hype Cycle do Gartner. Embora este seja um estágio em que a tecnologia passa por uma fase do que o mercado chama de hype (ou febre, na tradução para o português), o Gartner acredita que as tecnologias de cloud alcancem sua plenitude em dois a cinco anos.

Anualmente a empresa de análises de mercado avalia o nível de maturidade de tecnologias emergentes. São 1.900 tecnologias analisadas, divididas em 76 ciclos. O gráfico Hype Cicle vem sendo usado pelo Gartner desde 1995 para destacar tendências de super entusiasmo, desencantamento e eventual realismo que acompanham cada tecnologia e inovação.

O “Pico de grandes expectativas” é um estágio inicial no ciclo quando, de acordo com o Gartner, a publicidade gera um grande número de histórias de sucesso, que muitas vezes vêm acompanhadas por resultados de fracasso.

Segundo a análise de 2011, as cloud privadas tomaram o lugar das tecnologias tradicionais de computação em nuvem no topo da lista de “Picos de expectativas”. Enquanto isso, as plataformas de cloud/web caíram para a categoria de desencanto (Trough of Disillusionment) de 2010 para cá.

Jackie Fenn, vice-presidente do Gartner, disse em relatório que os temas em destaque este ano incluem o grande interesse e adoção de mídias sociais, cloud computing e mobilidade.

As tecnologias transformacionais que atingirão suas metas em menos de cinco anos incluem tablets e cloud computing, bem como sistemas in-memory de gerenciamento de bancos de dados, sistemas de processamento e gerenciamento de grandes dados.

No longo prazo, o Gartner acredita que impressão 3D, a “Internet das coisas”, TV por internet e soluções de respostas naturalmente humanas a perguntas estarão entre as principais forças tecnológicas. As expectativas para além de dez anos incluem bioimpressão 3D, robôs móveis e computação quântica à frente de mudanças transformacionais.

Fonte: Convergência Digital

Tags | , , ,