Image Image Image Image Image
Scroll to Top

Topo

WordPress

27

out
2014

Sem Comentários

Em CMS
Wordpress

Por Diogo Teobaldo

Filtro para conteúdo na biblioteca de mídia do WordPress

Em 27, out 2014 | Sem Comentários | Em CMS, Wordpress | Por Diogo Teobaldo

Por: Diogo Teobaldo

 

As vezes pode ser útil filtrar quais conteúdos da biblioteca de mídia de seu site os usuários podem ter acesso. Por isso mostrarei uma maneira pratica e simples de fazer o mesmo.

No caso abaixo, o objetivo era fazer com que os usuários(exceto editores) tivessem acesso apenas a conteúdos vinculados a uma post associado a ele ou que tenha sido enviado por ele.

1º passo – Utilizamos um filtro para ter acesso a query de posts e poder altera-la:

add_filter( 'posts_where', 'attachments_wpquery_where', 10, 2 )

2º passo – Definição da função:

function attachments_wpquery_where( $where ){

3° passo – Devemos obter o id do post para saber quais imagens estão vinculadas ao mesmo, e para isso utilizamos a expressão abaixo:

$id = $_POST['post_id'] ? $_POST['post_id'] : "NULL";

4º passo – Restringimos a função para filtrar apenas conteúdo de usuários que não tenham permissão de editor:

if( is_user_logged_in() && !current_user_can('edit_others_pages'))

5º passo – Checamos se o usuário está utilizando ação de consulta de imagens na biblioteca:

if( isset( $_POST['action'] ) ){
            // library query
            if( $_POST['action'] == 'query-attachments' ){

6º passo – Alterar a query de acordo com nossa necessidade:

$where .= ' AND (post_author=' . get_current_user_id() . ' OR post_parent=' . $id .')';
return $where;

No 6º passo filtramos na cláusula where da query conteúdo do autor logado ou que esteja vinculado ao post que ele está consultando.

O que acontece se o usuário for na biblioteca de mídia devido a essa alteração?
R: Como não haverá id de post na página da biblioteca serão trazidos apenas conteúdo que tenha sido enviado pelo usuário logado no sistema.

Código completo para referência:

add_filter( 'posts_where', 'attachments_wpquery_where', 10, 2 );
function attachments_wpquery_where( $where ){            
    $id = $_POST['post_id'] ? $_POST['post_id'] : "NULL";
    if( is_user_logged_in() && !current_user_can('edit_others_pages')){        
        if( isset( $_POST['action'] ) ){
            // library query
            if( $_POST['action'] == 'query-attachments' ){
                $where .= ' AND (post_author=' . get_current_user_id() . ' OR post_parent=' . $id .')';
            }
        }
    }    
    return $where;
}

Tags | , , , ,

27

out
2014

Sem Comentários

Em CMS
Wordpress

Por Diogo Teobaldo

Utilizando editor TinyMce no WordPress

Em 27, out 2014 | Sem Comentários | Em CMS, Wordpress | Por Diogo Teobaldo

Por: Diogo Teobaldo

Pode ser que um dia você precise que um campo texto como o textarea tenha mais funcionalidades e suporte código html. Para isso mostrarei como usar o TinyMce.

Primeiro de tudo, o que seria esse tal de TinyMce?
R: TinyMCE é uma plataforma web independente baseado em Javascript HTML WYSIWYG editor controle lançado como Open Source sob LGPL.

Ah! Entendi. Então vamos continuar.

O WordPress conta com uma função que serve para renderizar esse editor. Essa função é a wp_editor que recebe três parâmetros, sendo eles:

  • $content – Conteúdo inicial do editor.
  • $editor_id – Id HTML do textarea para o TinyMCE.
  • $settings – Um array de argumentos. Esses argumentos serão úteis para controlar por exemplo se os botões insert/upload de mídia devem ser exibidos.

Como exemplo suponha que queremos um campo resumo com os recursos do TinyMce.

1º Devemos obter o conteúdo inicial seja ele post ou um post_meta como abaixo:

$resumo = get_post_meta($post->ID, '_resumo', true);

2º Precisamos do id do textarea, no nosso caso será “resumo”.

3º O array de argumentos:

$settings = array(
        'textarea_name' => 'resumo_empresa',
        'media_buttons' => false,     
        'textarea_rows' => 10,   
        'tinymce' => array(
            'theme_advanced_buttons1' => 'formatselect,|,bold,italic,underline,|,' .
                'bullist,blockquote,|,justifyleft,justifycenter' .
                ',justifyright,justifyfull,|,link,unlink,|' .
                ',spellchecker,wp_fullscreen,wp_adv'));

Com isso, devemos fazer chamada a função wp_editor do wordpress no local onde queremos que nosso editor seja renderizado.

wp_editor($resumo, 'resumo', $settings);

Pronto com isso ele já será exibido, agora basta salvar o conteúdo assim que necessário:

update_post_meta( $_id, '_resumo', $_POST['resumo'] );

Tags | , ,

SWX Direto das trincheiras 03 – Campus Party, Podcasts e Forum de Inovação tecnológica

Em 13, fev 2014 | 28 Comentários | Em Blog, CMS, Código, Destaques, JavaScript, NodeJs, Ruby, Vídeos, Wordpress | Por Mike Lopes

Neste SWX Direto das trincheiras trazemos as novidades que rolaram na SWX, se perdeu alguma coisa confira:

  • SWX Labs 03 – Editais de Inovação: http://bit.ly/SWXLabs03
    • Bate papo com Marcelo Dósea, sobre Editais de Inovação, sua importância e como se preparar para participar.
  •  SWX Labs 04 – Planejamento: http://bit.ly/SWXLabs04
    • Neste podcast Benhun, gerente de projetos de SWX, fala sobre planejamento. São debatidos conceitos e dicas de como preparar um bom planejamento.
  • 5 formas de utilizar o google alerts para alavancar seu negócio ou carreira: http://bit.ly/GoogleAlerts5Dicas
    • No blog do CIO Market tem dicas interessantes de como aproveitar uma grande ferramenta do google, o Alerts.
  • Model em Ruby on Rails – Parte 02: http://bit.ly/NGczin
    • Segunda parte do artigo explicando um aspecto da aplicação da arquitetura MVC com Ruby on Rails.
  • Uma introdução ao gulp: http://bit.ly/1cCsR4S
    • Saiba mais sobre esse automatizador de tarefas baseado no node.js
  • Desvendando os “Custom Post Types”: http://bit.ly/1iMneoz
    • Para iniciantes e intermediários em wordpress entenderem melhor como personalizar o back end de posts no wordpress.
  • SWX na Startup and Makers da Campus Party 2014: http://bit.ly/1bPGgmy
    • Confira como foi a participação da SWX na Campus Party 2014.
  •  1º Fórum de Inovação, Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia do IFS (FIPITT) – http://bit.ly/1nwdZqf
    • A SWX participa deste fórum como case de sucesso. Se vc estiver em Aracaju no dia 18/02 apareça no IFS e veja a palestra de Vinicius.

Tags | , , , , , , , , ,

28

jan
2014

Sem Comentários

Em Blog
Código
PHP
Wordpress

Por Mike Lopes

Desvendando os “Custom Post Type” – Parte 01

Em 28, jan 2014 | Sem Comentários | Em Blog, Código, PHP, Wordpress | Por Mike Lopes

Por Eloi Morais de Matos

O que é?

Os Tipos Personalizados de Posts (Custom Post Type) são tipos de post que são criados, além dos fornecidos por padrão WordPress. Quando ativamos um tema ou um plugin às vezes encontramos novos tipos de post que foi colocado para suprir as necessecidades do desenvolvedor.

Onde usar?

São usados ​​em uma grande variedade de maneiras em todo o ecossistema WordPress. Sempre que você precisar de um tipo de conteúdo que é diferente dos tipos padrão, tenha em mente que é a hora de usar os tipos personalizados de post. Alguns exemplos de como eles são usados ​​são:

  • Produtos para um site de comércio eletrônico;

  • Depoimentos em portfolio;

  • Listagem para um site imobiliário;

  • Avaliações para um site de jogos

  • Eventos para um calendário de eventos;

  • Veículos para um site automotivo;

  • Filmes para uma locadora;

  • Livros para uma biblioteca.

Você pode criar um tipo de post para cada uma delas, Cada uma com seus próprios dados e taxonomias adicionais e, em seguida, registra-las utilizando o seu tema. Isso aumenta a flexibilidade do WordPress já que você não estará limitado aos tipos de conteúdo que vem por padrão nele.

Como criar?

Se você quiser escrever novos tipos de posts personalizados, você pode registra-lo no arquivo functions.php do seu tema, ou em um plugin. Neste você pode definir as propriedades do tipo de post e como ele age dentro do WordPress. O WordPress Codex tem um guia para os tipos personalizados de post com informações sobre codificação deles, mas deixarei aqui um código simples retirado do GenerateWP onde você pode personalizar mais ainda os novos tipos de posts. Veja abaixo:

// Register Custom Post Type
function custom_post_type() {

	$labels = array(
		'name'                => _x( 'Post Types', 'Post Type General Name', 'text_domain' ),
		'singular_name'       => _x( 'Post Type', 'Post Type Singular Name', 'text_domain' ),
		'menu_name'           => __( 'Post Type', 'text_domain' ),
		'parent_item_colon'   => __( 'Parent Item:', 'text_domain' ),
		'all_items'           => __( 'All Items', 'text_domain' ),
		'view_item'           => __( 'View Item', 'text_domain' ),
		'add_new_item'        => __( 'Add New Item', 'text_domain' ),
		'add_new'             => __( 'Add New', 'text_domain' ),
		'edit_item'           => __( 'Edit Item', 'text_domain' ),
		'update_item'         => __( 'Update Item', 'text_domain' ),
		'search_items'        => __( 'Search Item', 'text_domain' ),
		'not_found'           => __( 'Not found', 'text_domain' ),
		'not_found_in_trash'  => __( 'Not found in Trash', 'text_domain' ),
	);
	$args = array(
		'label'               => __( 'post_type', 'text_domain' ),
		'description'         => __( 'Post Type Description', 'text_domain' ),
		'labels'              => $labels,
		'supports'            => array( ),
		'taxonomies'          => array( 'category', 'post_tag' ),
		'hierarchical'        => false,
		'public'              => true,
		'show_ui'             => true,
		'show_in_menu'        => true,
		'show_in_nav_menus'   => true,
		'show_in_admin_bar'   => true,
		'menu_position'       => 5,
		'menu_icon'           => '',
		'can_export'          => true,
		'has_archive'         => true,
		'exclude_from_search' => false,
		'publicly_queryable'  => true,
		'capability_type'     => 'page',
	);
	register_post_type( 'post_type', $args );

}

// Hook into the 'init' action
add_action( 'init', 'custom_post_type', 0 );

Nos próximos artigos irei fazer um passo a passo completo para criação dos tipos personalizados de post comentando para que que serve cada uma das opções. Até a próxima!

*Eloi é desenvolvedor de Software na SWX

Imagem: Christopher Ross

Tags | ,

14

maio
2012

Sem Comentários

Em Blog
Dados
Wordpress

Por Allison

Puxar informações de comentários do banco de dados do WordPress

Em 14, maio 2012 | Sem Comentários | Em Blog, Dados, Wordpress | Por Allison

Fonte: IMasters/Paulo Faustino

Uma das melhores formas de coletar e-mails dos usuários é através do formulário de comentários do WordPress. Ao invés de usar um plugin, é possível criar uma função customizada para criar uma listagem de e-mails a partir dos dados submetidos pelos usuários. O truque é conseguir puxar a informação dos comentários do banco de dados do WordPress e fornecer, por exemplo, uma caixa de submissão de comentário com subscrição por e-mail.

Essa tática pode ser usada para várias funcionalidades além de coletar e-mails dos usuários, como puxar a informação dos comentários, a data, o URL do comentador, e basicamente toda a informação que esteja na tabela wp_comments do WordPress. Recentemente, os colegas do blog digwp realizaram alguns testes interessantes com essa tabela, e você poderá fazer o mesmo, caso pretenda puxar informações de comentários do banco de dados do seu WordPress.

Você pode puxar e mostrar qualquer tipo de informação dessa tabela em qualquer página ou artigo do seu site. O que você necessita é uma página não-pública (ou outra localização) para mostrar os resultados (“não-pública” especialmente se você quiser puxar e-mails dos usuários). O ideal é você criar uma página privada ou selecionar um template customizado que tenha disponível. Ao carregar a página, aparecem todos os e-mails dos usuários, por exemplo.

Puxar informações do banco de dados

Se você tem uma página com formulário de captura de e-mails e pretende coletar a informação num local específico, para depois contatar esses usuários por e-mail, terá forçosamente que usar algumas funções customizadas do WordPress. Para puxar a informação, teremos que realizar algumas queries no banco de dados do WordPress, selecionar as nossas colunas da tabela wp_comments e depois mostrar essas informações em uma página personalizada/privada.

A respeito das queries SQL, puxar informações da tabela de comentários é muito básico e simples, mas puxar informações de comentários de um artigo em específico, por exemplo, já é bem mais complexo. Para fazê-lo, iremos necessitar da seguinte query:

SELECT DISTINCT comment_author, comment_author_email, comment_author_IP
FROM (
SELECT DISTINCT comment_author, comment_author_email, comment_author_IP
FROM wp_comments WHERE comment_post_ID = 1
) AS WHATEVER

Como pode ver, com essa query podemos puxar qualquer coluna da tabela wp_comments. Na query de exemplo, estamos selecionando as colunas comment_author, comment_author_email, e comment_author_IP.

Se você tiver acesso ao seu banco de dados, você pode usar programas como o phpMyAdmin para executar a query automaticamente. Caso não tenha acesso, teremos que usar uma página privada do WordPress para o efeito. Abra um template de página do WordPress e coloque o seguinte código depois da função the_content():

<?php //grab the data
$comment_info = $wpdb->get_results("SELECT DISTINCT comment_author, comment_author_email, comment_author_IP
FROM (SELECT DISTINCT comment_author, comment_author_email, comment_author_IP
FROM wp_comments
WHERE comment_post_ID = 1
) AS WHATEVER");
// display the results
echo '<ul>';
foreach($comment_info as $info) {
echo '<li><strong>'. $info->comment_author .'</strong> - '. $info->comment_author_email .' - <small>'. $info->comment_author_IP .'</small></li>';
}
echo '</ul>';
?>

Selecione apenas o ID do artigo e voilá! Quando você visita a sua página privada no browser, você irá ver uma listagem similar a esta:

  • Guilherme – gui@hotmail.com – 123.456.789
  • Antônio – max@gmail.com – 987.654.321
  • Salvador Dali – dali@email.com – 456.789.123

Até já!

Tags | , , ,

13

maio
2012

Sem Comentários

Em Blog
Wordpress

Por Allison

Como destravar o painel do WordPress após a instalação de um plugin com problema?

Em 13, maio 2012 | Sem Comentários | Em Blog, Wordpress | Por Allison

Fonte: Celso Lemes/CriarSites


Se você é um blogueiro assim como eu, pode acontecer de um belo dia você tentar acessar o painel de controle do WordPress para escrever mais um post e perceber que o painel não está acessível, exibindo uma mensagem de erro ou uma página em branco.

Eu mesmo já tive este tipo de problema algumas vezes e penei para descobrir a solução, inclusive a ideia de escrever este artigo veio depois que um comentarista pediu ajuda sobre isso nos comentários recentemente.

Esse tipo de problema geralmente acontece depois da instalação de algum plugin ou mesmo após algum tipo de configuração no blog. Pode ser que o plugin seja incompatível com outro plugin já instalado, com a versão do WordPress, com o template ou mesmo com a hospedagem, fazendo com que o painel de administração ou o blog todo deixe de ser carregado ou apresente erros no carregamento.

Como resolver o problema

A solução para isso é relativamente simples, basta acessar o servidor em que o blog está instalado via FTP e renomear o a pasta do plugin suspeito ou da pasta plugins, fazendo com que todos sejam desativados automaticamente.

Abaixo você pode conferir a pasta plugins sendo renomeada com a ajuda do FileZilla.

Feito isso, basta acessar novamente o painel de administração e ir até a aba plugins, que irá mostrar uma mensagem dizendo que os plugins foram desativados. Depois é só voltar o nome da pasta para o que era antes e ativar os plugins, menos o que estava dando problema.

Não sei qual era o plugin com problema, o que faço agora?

Muita calma nesta hora. Uma boa forma de descobrir o plugin incompatível é ativar um dos plugins que você acha ser o suspeito e fazer um teste para ver se está tudo ok, se não tiver problema, ative outro e continue o processo até descobrir qual deles não se deu bem com seu blog.

Depois que descobrir o plugin problemático, verifique se ele não tem alguma atualização no próprio painel do WordPress. Pode ser que com a atualização o problema se resolva, mas caso não tenha, recomendo que você procure por um plugin alternativo.

Gostou deste artigo? Então deixe um comentário e não se esqueça de divulgar nas redes sociais.

Tags | , , ,

09

maio
2012

Sem Comentários

Em Blog
Wordpress

Por Allison

Como fazer seus comentários aparecem destacados no WordPress

Em 09, maio 2012 | Sem Comentários | Em Blog, Wordpress | Por Allison

Fonte: Celso Lemes/CriarSites

Na maioria dos templates para WordPress é possível o administrador do blog publique comentários destacados, que aparecem em uma cor diferente dos demais comentários, geralmente na cor azul claro, o que permite que os leitores escaneiem rapidamente para saber quais são os comentários do administrador/dono do blog.

Além de destacar os comentários do administrador, isso ajuda a dar mais credibilidade e reforçar sua imagem, o que pode trazer bons resultados a longo prazo. Confira a imagem abaixo que mostra como os comentários destacados aparecem aqui no CriarSites.com

Se no seu blog os seus comentários não estão aparecendo destacados, pode ser que esteja cometendo o mesmo erro que eu. Acontece que eu sempre respondo aos comentários deixados no meu blog a partir do próprio gerenciador de comentários do WordPress e não sei porque cargas d’água eles não são exibidos destacados.

No entanto, quando eu deixo um comentário diretamente no post, como se fosse um visitante qualquer, eles aparecem em destaque. Portanto, a solução é simples, basta comentar diretamente no post.

É claro que este problema também pode estar relacionado ao template que pode ser muito antigo e ainda não tem o recurso de destaque nos comentários. Se este for o seu caso, a melhor solução será mesmo trocar o template por um mais novo, que pode oferecer este e outros recursos interessantes, como ser mais amigável para os buscadores.

Tags | , ,

03

maio
2012

Sem Comentários

Em Blog
Código
Wordpress

Por Allison

Como adicionar scroll infinito a um template WordPress

Em 03, maio 2012 | Sem Comentários | Em Blog, Código, Wordpress | Por Allison

Fonte: Paulo Faustino/IMasters

Para quem trabalha com desenvolvimento de temas WordPress, introduzir constantemente novas funcionalidades é primordial – não só para tornar seus templates mais atrativos, mas acima de tudo, mais funcionais. O scroll infinito é uma forma muito popular de carregar conteúdo de forma dinâmica no seu site, sendo necessário apenas que o usuário faça scroll na tela, para o conteúdo ir carregando e aparecendo de forma dinâmica.

Sites populares, como o Twitter e Facebook usam esta funcionalidade há um bom tempo e ela pode ser facilmente adaptada para um template WordPress, dependendo logicamente das suas necessidades. Nem todos os tipos de sites e blogs se encaixam bem em um scroll infinito, portanto, ao usar a funcionalidade, tenha isso em mente. Para colocar o scroll infinito no seu WordPress, siga os passos deste artigo, baseado no código dos colegas do wptheming.

Para quem trabalha com desenvolvimento de temas WordPress, introduzir constantemente novas funcionalidades é primordial – não só para tornar seus templates mais atrativos, mas acima de tudo, mais funcionais. O scroll infinito é uma forma muito popular de carregar conteúdo de forma dinâmica no seu site, sendo necessário apenas que o usuário faça scroll na tela, para o conteúdo ir carregando e aparecendo de forma dinâmica.

Sites populares, como o Twitter e Facebook usam esta funcionalidade há um bom tempo e ela pode ser facilmente adaptada para um template WordPress, dependendo logicamente das suas necessidades. Nem todos os tipos de sites e blogs se encaixam bem em um scroll infinito, portanto, ao usar a funcionalidade, tenha isso em mente. Para colocar o scroll infinito no seu WordPress, siga os passos deste artigo, baseado no código dos colegas do wptheming.

Baixe o JavaScript

Faça o download de uma cópia do arquivo “jquery.infinitescroll.min.js”, que está no repositório do GitHub, e coloque-o na pasta de scripts ou arquivos JavaScript do seu template WordPress. Se não tem uma pasta “scripts” ou “js” no seu template, você poderá criar uma apenas para organizar todos os arquivos e funcionalidades do seu tema.

Se desejar, pode ainda escolher uma das imagens para o efeito de loading do script. Veja aqui. Carregue a imagem para a pasta “imagens” do seu template.

Carregar o script

Vai ser necessário registar e carregar o script para dentro do arquivo functions.php do seu template. Copie e cole o seguinte código para dentro do arquivo functions.php do seu tema. Se o seu tema não tiver um arquivo com esse nome, deverá criar um e colar o seguinte código:

/**
* Load javascripts used by the theme
*/
function custom_theme_js(){
wp_register_script( 'infinite_scroll',  get_template_directory_uri() . '/js/jquery.infinitescroll.min.js', array('jquery'),null,true );
if( ! is_singular() ) {
wp_enqueue_script('infinite_scroll');
}
}
add_action('wp_enqueue_scripts', 'custom_theme_js');.

Inicializar o script

No código seguinte, estão listados diferentes parâmetros usados no template. Provavelmente, você precisará alterar alguns deles para se ajustarem corretamente ao seu template. Veja:

  • img: O caminho para o URL da imagem de loading;
  • nextSelector: Selector do link “artigos antigos”;
  • navSelector: Selector dos links de navegação anterior/próximo;
  • itemSelector: Selector para posts. Poderá ser .hentry, .post, .etc;
  • contentSelector: Contém divs para os seus posts.
/**
* Infinite Scroll
*/
function custom_infinite_scroll_js() {
if( ! is_singular() ) { ?>
<script>
var infinite_scroll = {
loading: {
img: "<?php echo get_template_directory_uri(); ?>/images/ajax-loader.gif",
msgText: "<?php _e( 'Loading the next set of posts...', 'custom' ); ?>",
finishedMsg: "<?php _e( 'All posts loaded.', 'custom' ); ?>"
},
"nextSelector":"#nav-below .nav-previous a",
"navSelector":"#nav-below",
"itemSelector":"article",
"contentSelector":"#content"
};
jQuery( infinite_scroll.contentSelector ).infinitescroll( infinite_scroll );
</script>
<?php
}
}
add_action( 'wp_footer', 'custom_infinite_scroll_js',100 );

Nota: Não esqueça de traduzir as mensagens de carregamento para a língua desejada.

Testar o script

Ao carregar o conteúdo da homepage ou de uma categoria, o scroll infinito deverá estar funcionando. Caso não esteja, verifique se o script não está carregando corretamente, ou se por ventura está dando algum erro de JavaScript. Verifique também se os seletores estão todos funcionando corretamente.

Se você fizer scroll diversas vezes, é provável que a determinada altura comece a dar erros 404, pelo que você deverá aplicar o seguinte patch ao arquivo functions.php:

/**
* If we go beyond the last page and request a page that doesn't exist,
* force WordPress to return a 404.
* See http://core.trac.wordpress.org/ticket/15770
*/
function custom_paged_404_fix( ) {
global $wp_query;
if ( is_404() || !is_paged() || 0 != count( $wp_query->posts ) )
return;
$wp_query->set_404();
status_header( 404 );
nocache_headers();
}
add_action( 'wp', 'quimby_paged_404_fix' );

É isso, pessoal! Até mais.

Tags | , , ,

01

maio
2012

Sem Comentários

Em Blog
Wordpress

Por Allison

Cinco motivos para você escolher o WordPress

Em 01, maio 2012 | Sem Comentários | Em Blog, Wordpress | Por Allison

Fonte: Criarsites

Este é um guest post escrito por André Luis que escreve no blog PC Web.

Todas as pessoas quando vão criar o seu primeiro blog ficam com aquela dúvida: Qual plataforma eu vou escolher para o meu blog? Essa escolha de plataforma tem que ser bastante pensada, pois se no futuro você quiser fazer uma migração para uma outra plataforma, será um pouco trabalhoso, e dependendo do caso, você perderá algumas informações importantes, como os uploads de imagem, alguns comentários, tags e várias outras coisas que se perdem em uma migração de uma plataforma para outra, por exemplo, do Joomla para WordPress.

Pois bem, como a maioria do pessoal aqui já perceberam, eu sou um fanático pela plataforma WordPress, eu aconselho ela a todos os blogueiros por causa de alguns fatores que a tornam simples de se usar. É ele que eu utilizo em meu blog PC Web e no meu recente blog de imagens o Imagens Top e também é utilizado aqui no Criar Sites. Veja agora cinco fatores que ajudarão você a escolher a plataforma WordPress para o seu blog.

É um script Open Source (Código Aberto)

Olha que maravilha, você ter um script de blog em código aberto, isso fará com que você seja “praticamente” o dono desse script, pois você tem a total liberdade para editar ele completamente e adequá-lo ao seu gosto. Você tem a liberdade de executar o programa, para qualquer finalidade. Você tem acesso ao código-fonte, a liberdade de estudar como o programa funciona e a liberdade de alterá-lo para ele fazer o que você desejar. Você tem a liberdade de redistribuir cópias do programa original para ajudar ao seu próximo.

Você tem a liberdade de distribuir cópias de suas versões modificadas para os outros. Ao fazer isso você pode dar a comunidade toda a oportunidade de se beneficiar de suas alterações. Você não gostou de alguma coisa que veio como padrão? Então que tal editar? Você tem liberdade com o WordPress, edite-o, modifique-o, adapte-o ao seu gosto! Nada o impede de fazer mudanças nele! Nada!

Não se impressione em saber que alguns portais gigantescos espalhados pela internet foram criados utilizando o WordPress.

Possui um grande número de temas grátis

Sem dúvidas o WordPress é uma das plataformas que possui o maior número de temas grátis, devido ao seu alto grau de facilidade na edição do código fonte, tornando assim a edição do layout do blog muito mais simples de se fazer. Para você que não sabe o que é um tema, nada mais é do que a “aparência do blog”.

O WordPress possui em seu painel de controle uma busca por temas, ao qual você informará apenas o “tipo de tema” que você quer e automaticamente ele mostra os milhares de resultados de temas sobre esse tipo escolhido, e o melhor de tudo, você não precisará nem ao menos baixar, por que os temas escolhidos no painel de controle do WordPress serão automaticamente instalados em seu blog, em apenas alguns cliques.

E o que mais impressiona, é que a comunidade WordPress é constituída de pessoas legais, ao qual sempre postam ou vendem a preços muito baixos os mais variados temas. E olha que só aparece temas bonitos. A equipe que desenvolveu o WordPress pensou exatamente em todas as pessoas, pois até mesmo aqueles que estão começando agora na área de blogs, conseguem com facilidade modificar todo o código fonte do script.

Possui um grande número de plugins

Da mesma forma que os temas, no painel do WordPress possui uma busca por plugin grátis. Para você que não sabe o que é um plugin, de uma forma resumida, são alterações ou complementos que surgem de uma necessidade por parte do criador em seu blog. Existem vários tipos de plugin (que são modificações) criados e disponibilizados no próprio servidor do WordPress (o que eu falei sobre ser fácil de editar?). E os mesmos podem ser instalados em apenas alguns cliques, utilizando o próprio painel do WordPress. Da mesma forma que os temas, você não precisará baixar absolutamente nada, uma vez que o sistema é todo automático.

Possui um dos mais fáceis painel de Administração

Sem dúvidas o painel de Administração do WordPress é o mais fácil de utilizar e fazer alterações, uma vez que o mesmo deixa tudo muito claro sobre todas as configurações disponíveis no painel. E se algo der errado? Não se preocupe que você fará apenas a configuração reversa a que você fez que tudo voltará ao normal. Depois de ter visto os painéis de Administração dos mais famosos sistemas de blogs, o do WordPress (na minhã opinião) foi o mais fácil de ser configurado. Qualquer pessoa que nunca instalou um blog na vida, conseguirá facilmente instalar e configurar o WordPress tranquilamente. Basta apenas saber ler 🙂

Controle de usuários

Nunca vi em toda minha vida um painel de controle de usuários cadastrados mais simples e eficaz. Pois o mesmo possui apenas as informações necessárias que devemos saber sobre os nossos usuários cadastrados. Apenas 5 ou 6 informações sobre cada usuário já é o suficiente para termos uma noção sobre quem possa ser cada um deles. Nada de endereço, cep, nome completo, CPF e demais informações, pois ninguém quer estar informando em vários sites os seus dados pessoais.

Existe várias outras funcionalidade que fazem do WordPress uma das melhores plataformas do mundo para blogs. Mas creio que essas informações já ajudarão todos aqueles que estão indecisos sobre qual plataforma escolher para seu blog. Posso dar uma dica? Escolha o WordPress, você não irá se arrepender.

Tags | , , ,

29

abr
2012

Sem Comentários

Em Blog
Wordpress

Por Allison

WordPress 3.3.2 – Atualização de Segurança

Em 29, abr 2012 | Sem Comentários | Em Blog, Wordpress | Por Allison

Fonte: WPtotal

A versão 3.3.2 do WordPress já está disponível e veio corrigir alguns problemas de segurança que a versão anterior apresentava. O anuncio da nova versão foi feita por Andrew Nacin no blog oficial do wordpress.org.

Neste update foram atualizadas 3 bibliotecas externas que tinham alguns bugs:

  • Plupload – usada no o upload de conteúdo,
  • SWFUpload – usanda anteriormente para upload de conteúdo, mas continua a ser usada por alguns plugins,
  • SWFObject – também usada em versões mais antigas do wordpress e ainda usada por alguns plugins e temas.

Além das bibliotecas, foram corrigidos os seguintes problemas:

  • Vulnerabilidade XSS ao fazer com que os links sejam clicáveis,
  • Vulnerabilidade também cross-site scripting no redireccionamento depois de fazer um comentário usando browsers mais antigos,
  • Escalação de privilégios limitados, onde um administrador de site pode descativar plugins em toda a rede ao executar uma rede de WordPress em circunstâncias especiais.

As restantes correções podem ser encontradas no change log.
A atualização para esta nova versão é recomendada e não deve de criar problemas de incompatibilidade com temas ou plugins.

A atualização pode ser feita através do painel de administração do wordpress ou se preferir pode atualizar manualmente. Os links para o download da nova versão são os seguintes:

Nota: No momento em que escrevemos este post, a versão brasileira ainda não está disponível.

WordPress 3.4 Beta 3

No mesmo artigo foi anunciado que a versão Beta 3 do WordPress 3.4 já está disponível.

Esta versão está agora mais próxima da versão final que está prevista para o dia 9 de Maio, no entanto é uma versão de testes com alguns problemas e por isso é recomendado que seja usada apenas para testes.

Tags | , , ,

24

abr
2012

Sem Comentários

Em Blog
Wordpress

Por Allison

WordPress corrige problemas de segurança relacionados ao upload de arquivos

Em 24, abr 2012 | Sem Comentários | Em Blog, Wordpress | Por Allison

Fonte: IMasters

Com informações de The H

Os desenvolvedores do WordPress liberaram uma atualização de segurança para o CMS. O WordPress 3.3.2 corrige bugs não especificados em três bibliotecas externas de upload de arquivos, além de outros problemas de segurança com a plataforma.

Os bugs afetam as bibliotecas Plupload, SWFUpload e SWFObject; elas foram empacotadas em versões mais antigas do WordPress e ainda podem ser usadas em alguns plugins nas versões atuais do aplicativo.

Os desenvolvedores não entraram em detalhes a respeito das falhas de segurança, mas agradeceram a três pessoas da comunidade do WordPress por descobri-las. Outras três correções resolvem problemas de escalação de privilégio na engine do sistema multi-site da plataforma, e duas vulnerabilidades de cross-site scripting em componentes importantes do WordPress.

Mais detalhes sobre a nova versão podem ser encontrados no change log. Ela está disponível para download no site do projet

Tags | , ,

24

abr
2012

Sem Comentários

Em Blog
Wordpress

Por Allison

Faça alterações em seu WordPress, mas com Calma!

Em 24, abr 2012 | Sem Comentários | Em Blog, Wordpress | Por Allison

Fonte: CriarSites

Este é um guest post que foi escrito por Vinicius Horta do blog Dinheiro Web.

Assim que se passa o blog para uma hospedagem profissional abre-se um grande leque de possibilidades, tanto a nível de customização, plugins, otimização de desempenho, enfim, há um mundo novo a ser explorado pelo blogueiro que acaba de hospedar seu blog WordPress.

Isso pode acabar a levar este blogueiro a cometer alguns erros, que se notados na hora ótimo, poderá concertar rapidamente, porém o pior é quando o engano não é assim tão aparente, pois este pode passar longos períodos prejudicando seu blog sem que note isto.

Inicialmente já vale lembrar que em muitos casos vale que “menos é mais”, para seu blog WordPress isto é perfeitamente válido! Não exagere em nada, principalmente em recursos fornecidos por plugins, quanto mais conseguir soluções com um número menor de plugins melhor.

Outro dia uma amiga pediu para eu dar uma olhada no blog dela, vejam que encontrei dois plugins para redes sociais (entre muitos outros que por lá estavam), um para única e exclusivamente inserir um botão de compartilhamento do Twitter e outro da mesma forma para o Facebook. Não faz sentido ter dois processos diferentes executando uma tarefa, note que neste caso a tarefa é “compartilhamento em redes sociais”.

Troquei ambos os plugins por apenas um muito bom que é o AddThis, com mais de 350 opções de redes sociais para compartilhamento, assim terá menor esforço do servidor para um resultado muito superior!

Estude muito, mas Teste com Calma!

Quando se fala em WordPress é importante ter em mente que o estudo deve ser constante, novidades surgem a todo instante, quanto mais atualizado estiver melhor, porém se for colocar em prática no blog tudo o que for encontrando de novidades certamente em pouco tempo estará precisando de um servidor dedicado mesmo tendo poucas visitas, pois estará exigindo muito do servidor, isso sem falar que seu blog talvez não fique interessante ao leitor.

A cada novo teste que fizer no blog (por exemplo instalar um plugin que ainda não conhece) deve passar a observar o desempenho do blog e também os resultados práticos que o plugin está oferecendo, assim poderá avaliar se vale ou não a pena manter o plugin (ou qualquer outra alteração).

De um modo geral o período de uma semana de observação será suficiente para analisar o comportamento do blog com a novidade. Outra dica interessante é para quem possui mais de um blog, faça os testes inicialmente em um blog que ainda não tenha muitas visitas e apenas depois teste o plugin em um blog maior, isso pode evitar grandes dores de cabeça. Por outro lado lembre-se de que não é porque funcionou bem em um blog que o fará em outro, podem haver configurações e plugins diferentes, isso pode mudar tudo nos resultados.

Tags | , ,