Gerentes em Agile: Nocivos ou apenas despreparados?

Fonte: Rafael Buzon

Segundo Joe Little, muitos da comunidade ágil acreditam que os gerentes são nocivos às equipes, mas o problema, ele defende, está mais no despreparo:

É fato que há muitos gerentes que não gerenciam bem… Mas acredito que a principal razão para isso é que não foram bem treinados. Ou ninguém os ensinou, ou foram ensinados de forma errada, ou mesmo aprenderam errado.

Dave McNulla, em comentário no post de Little, reforça o argumento do despreparo dos gerentes para o Agile, sugerindo que este desconforto da comunidade venha da maneira desconexa com que os gerentes tomam decisões no dia a dia:

Decisões gerenciais geralmente não levam em conta o ambiente ágil, pois muitos gerentes não fazem ideia do que seja Agile.

McNulla afirma ainda que muitos gerentes nem sequer conhecem o Manifesto Ágil ou os princípios que norteiam as práticas ágeis, e acrescenta:

Enquanto os gerentes não pararem de pensar no Agile somente como uma técnica, este cenário não mudará.

Joe Little contesta também o sentimento equivocado, tanto dos próprios gerentes, quanto de seus subordinados, de que ninguém deve corrigir os gerentes. Entretanto, ele destaca que a hierarquia e o poder não contribuem tanto em uma indústria de profissionais que trabalham com conhecimento e criatividade.

Para os desenvolvedores, segundo comentário deixado por Sannette Coetzze, muitas vezes o gerente é visto como um impedimento e em outros casos o gerente não se envolve com o trabalho das equipes:

Alguns gerentes não querem “sujar as mãos” ou se comprometer com a equipe e com o produto. Um bom gerente tem que liderar e possuir energia e entusiasmo ao conduzir a equipe.

Sobre a relação entre liderança e gerenciamento, Little cita outra impressão da comunidade ágil: a de que líderes são necessários, mas não gerentes. Mas ele reafirma que os gerentes também são importantes, dentro de um novo contexto:

Estamos em meio a uma mudança na cultura de gerenciamento em todo o mundo. Este será um longo diálogo e há muitas dimensões a serem discutidas. Precisamos argumentar sobre como gerenciar melhor.

Esta discussão ainda será longa, como finaliza Little, pois o modo como gerenciamos hoje ainda está enraizado em antigos conceitos que precisam ser revistos – principalmente dentro do contexto ágil e da indústria do conhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *