Unesp usa computação em nuvem para divulgar resultados do Vestibular

Cloud Computing permite acessos simultâneos sem que o site fique congestionado

A Unesp passou a utilizar a tecnologia cloud computing (computação em nuvem, em português), sistema que possibilita alta disponibilidade de serviços de rede e grande desempenho sem a necessidade de investimento em equipamentos. A experiência foi realizada na divulgação do resultado do Vestibular Meio de Ano, realizado nos meses de junho e julho, quando cerca de 12 mil alunos se inscreveram no concurso. A Universidade utiliza o cloud computing por meio da ANSP (Academic Network of São Paulo), projeto da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

“Essa foi a primeira experiência desse sistema em vestibulares no Brasil”, afirma o coordenador da ANSP e professor da USP Luis Fernandez Lopez. Com o cloud computing, as listas de aprovados nas duas fases puderam ser consultadas sem atropelos para os candidatos e a Universidade. O resultado foi considerado bastante satisfatório pela Unesp e serviu como piloto para o Vestibular de dezembro, época em que o exame recebe cerca de 80 mil inscritos.

Coordenador do GRC (Grupo de Redes de Computadores) da Reitoria, Carlos Coletti diz que o serviço oferecido pela Unesp utilizou um ambiente com 100 GB de espaço em disco, 5 GHz de processamento, 10 GB de memória e 10 Mbps de rede.

Uma grande vantagem do cloud computing, segundo explica Coletti, é que não há a necessidade da instituição ou da empresa investir em servidores no Datacenter para atender demandas periódicas. Esses equipamentos podem ficar ociosos grande parte do tempo, além de se tornarem obsoletos rapidamente, gerando a necessidade de novos investimentos.

“É a tecnologia ideal para sites que têm picos de acessos e períodos de ociosidade alternados”, enfatiza Lopez. De acordo com o pesquisador, o modelo empregado pela Unesp é o mesmo que vem sendo usado pelo governo americano há dois anos. O governo brasileiro também anunciou esta semana que vai utilizar o sistema de nuvem, para evitar congestionamento de rede na divulgação de informações referentes a impostos, editais e concursos públicos, por exemplo.

Segurança

Além das universidades e órgãos oficiais, os bancos também podem se beneficiar do modelo, já que há aumento na demanda nas segundas-feiras pela manhã e nas sextas-feiras à tarde no sistema bancário on-line. Para Lopez, esse é um setor que tem necessidades específicas de segurança que ainda precisam ser desenvolvidas.

Ainda não é possível evitar ataques hackers do tipo DDoS (Distributed Denial of Service), como aqueles organizados em forma de protesto contra sites de empresas ou órgãos governamentais por meio de uma quantidade devastadora de acessos para retirar sites da web. Entretanto, na maior parte dos casos, a nuvem lida com esses ataques muito melhor que servidores individuais, de acordo com o pesquisador, porque, enquanto um servidor normal está preparado para suportar centenas de acessos simultâneos, uma nuvem comercial típica pode suportar até milhões desses acessos.

Fonte: ABN News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *